terça-feira, 12 de dezembro de 2017

BREAKING NEWS

* O álbum "Half Past Midnight" - dos gregos da Wild Rose - foi lançado há 7 anos e há 5 está fora de catálogo, mas no dia 28 de Fevereiro próximo ele voltará às lojas com duas bonus tracks, em uma edição física limitada a 500 cópias;

* "Raised On Rock" é o novo álbum do Voodoo Circle e será lançado em 09 de Fevereiro;

* Os veteranos do Magnum acabam de lançar lyric video para "Without Love", canção que integra o tracklist do álbum "Lost On The Road To Eternity" e que chegará às lojas em 19 de Janeiro. Você pode assistir o vídeo clicando aqui.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

ERIC MARTIN FALA SOBRE O MAIS RECENTE ÁLBUM DO MR. BIG

Mr. Big, circa 2017
Lançado em 21 de Julho último, "Defying Gravity" vinha gerando muitas expectativas na enorme base de fãs que o Mr. Big tem mundo afora.

Infelizmente, o álbum não atingiu as expectativas e, mesmo não sendo um desastre completo, ficou muito aquém do que a banda é capaz e, principalmente, do que se esperava de uma banda do calibre que é o Mr. Big.

E um detalhe que chamou muito a atenção de todos foi o tempo que a banda dispendeu na gravação do álbum: seis dias!!!

E em recente entrevista concedida ao pessoal da Total Rock, Eric Martin falou sobre esse aspecto e também revelou sua opinião, que não era bem aquela que muita gente considerou que fosse.

Disse Martin: "Não foi minha ideia, acredite em mim. Os outros caras vão dizer 'Oh, yeah, foi um grande desafio. Foi fantástico'. E eles trabalham bem sob pressão, gravam outros álbum daquele jeito. Eles são muito bons em estúdio. Mas eu gosto de faz as coisas com mais calma. É como fazer sexo ou algo parecido. Eu gosto de ter mais pré-produção, trabalhar mais as letras as melodias e a música".

Sobre o processo de gravação, o vocalista foi enfático: "Fomos jogados na cova do leão. Nosso empresário conseguiu recrutar Kevin Elson e tivemos que esperar ele ter tempo livre por muito tempo. Tínhamos uma pequena janela e aproveitamos, e todo o tempo que ele tinha eram seis dias para gravar nosso material".

Pessoalmente, achei a produção bem fraca e muito abaixo do que Elson já fez, inclusive nos primeiros trabalhos do Mr. Big. De maneira geral, "Defying Gravity" me soa como um álbum descompromissado e daquele tipo "obrigação contratual", mesmo sabendo que não foi o caso.

E a inconsistência do álbum não pode ser colocada apenas na conta do produtor, já que a janela de tempo era conhecida pela gravadora e pela banda.

Enfim, só nos resta esperar o próximo álbum da banda...

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Em uma época onde álbuns de melodic hard rock proliferam mais que mosquito da dengue em país tropical, um trabalho absolutamente voltado para a escola mais tradicional do westcoast seria improvável. Ainda mais improvável se trouxesse nomes consagrados no estilo e há muito longe dos holofotes. Pois é exatamente essa combinação de fatores que chama muito a atenção no excelente "Walkin' On Air", projeto criado pelo arranjador, produtor e compositor finlandês Tomi Malm (responsável pelo tributo "Fly Away:The Songs Of David Foster", de 2009) e que conta com uma monstruosa constelação de grandes nomes do westcoast. A sonoridade é a mais tradicional possível, o que imediatamente nos remete ao final dos anos 70 e início dos 80, quando boa parte dos grandes clássicos do westcoast foi lançado. E se você curte esse estilo e toda o requinte e alta qualidade que ele exige, esse álbum é uma belíssima surpresa!!!

A instrumental "Kuwakarabisha" abre o álbum com propriedade, trazendo uma levada suave e envolvente, como todo bom westcoast deve ser, sendo seguida pelo excelente uptempo "Favor" (com um fabuloso arranjo para bateria e baixo) e pela linda balada "When You're Gone" (com base acústica), além da espetacular "Walkin' On Air", que traz o grande Jason Scheff em plena forma e esbanjando classe.

"Show Me A Sign" é uma balada lindíssima que traz o incomparavável Warren Wiebe (falecido em 1998) acompanhado da polonesa ZoSia Karbowiak em um dos momentos mais marcantes do álbum, onde o talento vocal de ambos transborda facilmente. E falando em talento vocal, o sempre espetacular Jeff Pescetto traz mais uma daquelas performances irretocáveis em "Perfect Imperfection", balada arrebatadora com arranjo e métrica que remetem a meados dos anos 80, em outro grande momento do álbum, enquanto "Still Life" é um interlúdio instrumental que soa bastante como uma ótima ideia para uma canção. Uma pena não ter sido desenvolvida...

Guitarras acústicas compõe a base de "Wouldn't It Be Kinder", uma linda balada onde Shem Von Shroeck desfila seus vocais feitos sob medida para o westcoast, enquanto Jerry Lopez chega com "Let's Get To It", canção com arranjo uptempo caprichado e com baixo em primeiro plano e ilustre presença de metais em outro grande momento do álbum. Já "A Reason To Smile" - com seus pouco mais de dois minutos - é uma balada bastante intimista, mas confesso que a considero o ponto fraco do álbum por conta do arranjo melancólico, mas ouçam e tirem suas próprias conclusões.

Tomi Malm, circa 2017
E na reta final temos "You Belong With Me", uma linda balada interpretada por ninguém menos que o grande Clif Magness em um dos mais marcantes momentos do álbum, enquanto "Today" fecha o álbum de maneira serena e delicada, numa balada construída com guitarra e teclados caprichosamente encerrados em pouco mais de dois minutos.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, posso afirmar que há muito tempo não ouço um álbum de westcoast tão bem elaborado e bem produzido quanto "Walkin' On Air". Com um repertório brilhante, intérpretes geniais e muito bom gosto distribuído ao longo de 12 canções, esse trabalho mostra que Tomi Malm é, de fato, um nome a ser observado dentro do cenário westcoast, já que 10 das 12 canções trazem sua assinatura. Em um ano amplamente dominado pelo Melodic Hard Rock, um álbum de westcoast tão caprichado merece destaque e aplausos, além de muitas recomendações. Se você curte o estilo, acredite, "Walkin' On Air" vai te surpreender... e muito!!!

TOMI MALM - Walkin' On Air
Released on Oct. 2017 via Contante & Sonante
Cat. #CSCD 0217

Tracklist
01 Kuwakarabisha
02 Favor (Featuring Frank Adahl)
03 When Your're Gone (Featuring Julian Thomas)
04 Walkin' On Air (Featuring Jason Scheff)
05 Show Me A Sign (Featuring Warren Wiebe And ZoSia Karbowiak)
06 Perfect Imperfection (Featuring Jeff Pescetto)
07 Still Life (Interlude)
08 Wouldn't It Be Kinder (Featuring Shem Von Shroeck)
09 Let's Get To It (Featuring Jerry Lopez)
10 A Reason To Smile (Featuring Julian Thomas)
11 You Belong With Me (Featuring Clif Magness)
12 Today (Featuring Ashton Moran)

Musicians
Vocals: Clif Magness, Warren Wiebe, Jason Scheff, Jeff Pescetto, Frank Adahl, Julian Thomas, Ashton Moran, Jerry Lopez, Shem Von Shroeck, ZoSia Karbowiak
Guitars: Tomi Malm, James Harrah, Lolo Alvarez, Porti, Dan Warner, Bernt Rune Stray, Jerry Polez
Bass: Jason Scheff, Neil Stubenhaus, José Manuel Posada "Popo", Alex Al, Lars-Erik Dahle, Allan Nagel
Drums: John "J.R." Robinson, Simon Phillips, Vinnie Colaiuta, Olli Estola, Lars Daugaard, Ruben Dalen, Jarmo Valari
Keyboards: Robbie Buchanan, Tomi Malm, Eirik Berge
Percussion: Luis Conte, Lars Daugaard
Alto saxophone: Eric Marienthal, Brandon Fields
Flugelhorn: Patrik Eriksson
Horns: Eric Marienthal, Mattias Lejdal, Patrik Eriksson, Danny Falcone, Eric Tewalt, Gil Kaupp
Backing Vocals: Clif Magness, Jason Scheff, Jeff Pescetto, Frank Adahl, Tomi Malm, ZoSia, Bjjarne Langhoff, Gabriel Raya, Shem Von Shroeck, Jerry Lopez, Ashton Moran

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

AORWATCHTOWER TOP 10 2017

Sim, caríssimas e caríssimos, estamos "naquela" época do ano!!!

Com Dezembro se desenrolando rapidamente, acredito que tudo aquilo que nos era mais relevante já está em nossas mãos e coleções..

Assim sendo, chegou a hora de relacionarmos tudo o que nos marcou positivamente em 2017, enquanto nos preparamos para a avalanche de material que chegará em 2018, começando já em Janeiro.

Portanto, você pode enviar a sua lista para aor-heaven@hotmail.com com o título "TOP 10 2017" até a manhã do dia 31 próximo.

A lista será publicada no início da tarde, com todas aquelas surpresas que costumam aparecer. Ou não, apesar de que 2017 foi um ano previsível, até certo ponto.

Enfim, aguardo a tradicional participação de todos.

Rock on...


quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

BON JOVI SUPERA JUDAS PRIEST EM VOTAÇÃO DOS FÃS PARA INDUÇÃO NO ROCK AND ROLL HALL OF FAME

Veteranos do Bon Jovi atropelam concorrentes em
votação para indução no Rock And Roll Hall Of Fame
Os tiozões do Bon Jovi atropelaram bandas como Moody Blues, Dire Straits, The Cars e Judas Priest na votação feita pelos fãs para a sua indução no Rock And Roll Hall Of Fame. 

O Bon Jovi teve 1.162.098 votos, enquanto o Moody Blues teve 947.726, seguidos do Dire Straits com 613.726, The Cars com 552.707 e Judas Priest com 538.467.

De acordo com as regras do Hall Of Fame, os cinco mais votados são colocados em uma única cédula, que não conta mais do que uma cédula enviada por um dos 900 eleitores regulares do Hall Of Fame, que é composto por artistas, historiadores da música e pessoas ligadas ao business.

Desde que essa votação dos fãs foi criada, o artista mais votado por eles em edições anteriores - nominalmente Rush, Kiss, Stevie Ray Vaughn, Chicago e Journey - acabou sendo induzido à instituição.

Os artistas são elegíveis para o Rock And Roll Hall Of Fame 25 anos após o lançamento de seu primeiro álbum ou single. Os critérios de inclusão levam em conta "a influência e o significado das contribuições do artista para o desenvolvimento e a perpetuação do rock and roll".

Os ingressantes da classe de 2018 serão anunciados na próxima quarta-feira (13/12) e o resultado será divulgado na página do Rock And Roll Hall Of Fame no Facebook. Já a cerimônia de indução acontecerá em 14 de Abril em Cleveland e será transmitida ao vivo pela HBO na terra do Tio Sam.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

MAIS BREAKING NEWS

* O W.E.T. mostra o que vem aprontando para 2018 com "Watch The Fire", primeira canção retirada do álbum "Earthrage" (que chega às lojas em 23 de Março) e que pode ser ouvida aqui;

* O Whitesnake revelou que seu novo álbum tem o nome provisório de  "Flesh & Blood", cujo lançamento se dará ainda no primeiro semestre de 2018;

* Glenn Hughes se apresentará no Brasil pela primeira vez em 40 anos, tocando todos os grandes clássicos do Deep Purple! Os oito shows acontecerão em Abril próximo entre os dias 17 e 29, em Brasília, Belo Horizonte, São Paulo, Limeira, Curitiba, Manaus, Porto Alegre e Rio de Janeiro


segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

BREAKING NEWS

* Foreigner anuncia tour conjunta com Whitesnake e Jason Bonham's Led Zeppelin Evening, que percorrerá os Estados Unidos a partir de 15 de Junho próximo;

* A dupla Scherer/Batten acaba de lançar vídeo para a canção "Space And Time". Você pode assistir o material clicando aqui;

* Finalmente, o primeiro álbum de Jon Butcher Axis ganhará edição em CD. Lançado em 1983, o álbum foi remasterizado por JK Northrup e chegará às lojas em 19 de Janeiro, via Escape Music.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Os suecos do Houston estão na estrada há sete anos, mas confesso que só me convenci da sua qualidade há cerca de quatro, quando do lançamento do álbum "II". O trabalho seguinte, apesar de recheado de covers, é bem bacana e diverte sem esforço, qualidade louvável e também presente em "III", álbum que chega às lojas hoje e que certamente agradará igualmente à fãs da banda e entusiastas daquele AOR farofa que tanto curtimos, sempre repleto de guitarras e teclados por todos os lados.

Com uma avalanche de rockers empolgantes e absolutamente radio friendly, o álbum abre com os ótimos "Cold As Ice", "Everlasting" (um dos destaques do álbum) e "Dangerous Love" (outro destaque), uma tríade de respeito e que dá a tônica do que lhe aguarda a seguir. Volume máximo, air guitars e nenhuma moderação são recomendadas em cada uma das múltiplas audições.

A sequência de bons não poderia ser melhor, tendo os rockers "Amazing" e "Glass Houses" (ambos destaques) e o ótimo mid-pacer "To Be You" mantendo o alto nível e energia impressos nas primeiras faixas, o que implica recomendar o mesmo volume máximo, aquelas mesmas air guitars, nenhuma moderação e múltiplas audições.

Os suecos do Houston, circa 2017
E quando você acha que não há como melhorar, o trio de destaques "Twelve Steps", "Road To Ruin" e o arrepiante remix 80's para "Amazing" (que soa muito com o material da Magic Dance) mostram que é verdadeiro ditado que ensina que "não há nada bom que não possa ser melhorado". E também digna de vastos elogios é "Lights Out", linda balada intimista que apresenta contraponto aos rockers que predominam o tracklist.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, não há dúvidas que "III" traz o Houston em sua melhor forma e, não por coincidência, com seu melhor álbum. Com canções muito bem escritas, bem trabalhadas e com arranjos envolventes, os suecos dão um grande salto em relação a todos seus trabalhos anteriores, em todos os sentidos. Não é um álbum inovador nem surpreendente, mas não acredito que a intenção era essa, prá começo de conversa. Se você curte aquele AOR/Melodic Rock cuidadosamente descompromissado e bem talhado, "III" vai lhe agradar em cheio e chega como uma das surpresas mais bacanas do ano, o que faz dele um álbum mais que recomendado...

HOUSTON - III
Released on Dec. 01st 2017, via Cargo Records/Livewire U.K.
Cat. #LW 051

Tracklist
01 Cold As Ice
02 Everlasting
03 Dangerous Love
04 Lights Out
05 Amazing
06 To Be You
07 Glass Houses
08 Twelve Steps
09 Road To Ruin
10 Interstate Life
11 Amazing (Midnight Motel Retrowave Remix)

Lineup
Hank Erix: vocals
Soufian Ma'Aoui: bass
Calle Hammer: guitars, backing vocals
Victor Lundberg: keyboards, backing vocals
Oscar Lundström: drums

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

NOVO ÁLBUM DE RICK SPRINGFIELD NÃO SERÁ COMO ESPERÁVAMOS

Rick Springfield surpreende em novo trabalho
Entre seus inúmeros compromissos entre televisão, cinema, teatro e também como autor literário, Rick Springfield volta ao cenário com "The Snake King", álbum que chegará às lojas em 26 de Janeiro, via Frontiers Records.

Mas a tônica do álbum não será nada do que se poderia esperar do australiano, que dessa vez investiu absolutamente no blues.

"Todas as bandas nas quais toquei enquanto garoto na Austrália eram bandas de blues, onde tentávamos desesperadamente copiar, no melhor de nossas habilidades, os sons que ouvíamos vindo da cena blues de Chicago e do material mais antigo do sul. Minha maneira de tocar guitarra sempre foi influenciada pelos mesmos caras que influenciaram todos os músicos ingleses que eu cresci ouvindo, como Keith Richards, Eric Clapton e Jimmy Page. Todos tocavam suas versões do que ouviam do blues sulista e da cena de Chicago", disse Springfield.

Sobre as canções, ele disse: "As canções blues são muito divertidas de tocar e elas despertam certas reações da platéia que me levaram a pensar que aquela deveria ser a 'vibe' do meu próximo álbum. E com as formas da luta da humanidade contra o planeta, eu queria que o álbum tivesse foco nas letras, e bem ou mal, isso gerou 'The Snake King'".

O tracklist do álbum é o seguinte: 

01 In The Land Of The Blind
02 The Devil That You Know
03 Little Demon
04 Judas Tree
05 Jesus Was An Atheist
06 The Snake King
07 God Don't Care
08 The Voodoo House
09 Suicide Manifesto
10 Blues For The Disillusioned
11 Santa Is An Anagram
12 Orpheus In The Underworld

E se você quiser ter uma ideia do que vem por aí, clique aqui e ouça "Little Demon" na íntegra.

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

NOVO ÁLBUM DO BLOOD RED SAINTS CHEGA LOGO NO INÍCIO DE 2018

Blood Red Saints volta à ativa com álbum promissor
Três anos depois de seu primeiro álbum, o Blood Red Saints voltam à ativa com seu novo trabalho a ser lançado em 26 de Janeiro, via AOR Heaven.

"Love/Hate Conspiracies" é anunciado como sendo um trabalho mais coeso, conforme o vocalista Pete Godfrey explica: "O álbum 'Speedway' foi um ótimo trabalho de estréia, sem dúvida, mas o novo álbum é um grande passo a frente. Nós finalmente encontramos nosso som e identidade com esse material, ele soa mais coeso e, sem dúvida alguma, tem um estilo mais pesado."

O novo álbum também traz dois novos integrantes que se juntam ao vocalista Pete Godfrey, ao baixista Rob Naylor e ao guitarrista Lee Revill: o guitarrista Neil Hibbs e o baterista Andy Chemney, que havia trabalhado com Naylor na ótima banda Angels Or Kings.

O álbum conta com canções escritas em parceria com Paul Laine ("Is It Over?", onde ele faz dueto com Godfrey) e Steve Brown, do Trixter ("Turn On The Night").
O tracklist do álbum é o seguinte:

01 Another Freak
02 Live & Die
03 Wake Up
04 Exit Wounds
05 Something In Your Kiss
06 Love Hate Conspiracies
07 Arms Wide Open
08 Is It Over? (With Paul Laine)
09 Sometimes
10 Turn On The Night

Recebi o promo hoje e a resenha aparece em breve aqui na casa.

Stay tuned...

terça-feira, 28 de novembro de 2017

BREAKING NEWS

* O legendário guitarrista Michael Thompson e o vocalista Larry King anunciam que a Michael Thompson Band voltará ao cenário em 2018. O novo álbum ainda não tem data oficial de lançamento;

* E já que falamos em Larry King, sua banda Soleil Moon também terá novo trabalho chegando no próximo ano;

* Gene Simmons disse que jamais trabalhará com Vinnie Vincent novamente porque ele diz não precisar de "nuvens negras em minha vida". Como se ele fosse um sol abençoado...

BREAKING NEWS

* O álbum "Half Past Midnight" - dos gregos da Wild Rose - foi lançado há 7 anos e há 5 está fora de catálogo, mas no dia 28...