sexta-feira, 3 de agosto de 2012

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Todos estamos cansados de saber da importância da Suécia dentro do universo dos bons sons. Celeiro de grandes bandas até hoje, o país revelou alguns nomes bastante relevantes e outros nem tanto, mas que lançaram álbuns excepcionais e que permanecem desconhecidos para muitos. E nessa categoria incluo o projeto Amaze Me, que com apenas três álbuns em seu catálogo conquistou o respeito de muitos fãs no cenário AOR. Contando apenas com o vocalista Conny Lind e o multiinstrumentista Peter Broman, os suecos iniciaram sua caminhada em 1995 com o álbum "Amaze Me", um dos que eu mais curto daquele período. E se você curte radio friendly AOR, prepare-se para uma ótima e prazerosa viagem...

O álbum abre com "God's Gift To Woman", rocker bem bacana que conta com baixo e guitarras em primeiro plano, aconstruindo uma melodia animada e que traz um refrão marcante, com backing vocals caprichados. Vale a pena ouvir essa canção no volume máximo, assim como "You Say You Never Cry", outro rocker que chama sua atenção logo nos acordes iniciais. Me agrada bastante a melodia e o andamento dessa canção, e o refrão também me soa melhor, com mais energia. Também vale destacar a medida exata de guitarras desfilando sobre a linha de baixo. Já "Help Me Through The Night" começa com uma melodia chatinha, mas se revela um tremendo rocker no refrão. Confesso que não curto muito essa coisa de arranjar como mid-pacer ao longo dos versos e descambar para o lado rocker apenas no refrão, mas aqui a coisa funciona bem e recomendo várias audições se você não se convencer logo de cara. Outra canção que merece destaque é "Tough Ain't Enough", um radio friendly AOR construído sob uma base de baixo e discretos teclados, sempre pontuada por guitarras muito bem distribuídas, compondo uma melodia envolvente, com andamento perfeito e que te leva até um refrão explosivo, bem caraterístico do melhor AOR Made In Sweden. Volume máximo e janelas abertas para ouvir essa canção, por favor...

Continuamos nossa viagem com "Fairwarning", rocker bacana e que tem melodia e andamento bem acertados. Gosto bastante da presença discreta dos teclados e das guitarras, sempre na medida e nos locais certos. O refrão também merece destaque, fato que se repete em "Your Lover, Your Friend", balada bastante tradicional, com linha de baixo pesada e guitarras preenchendo os espaços, acompanhadas por backing vocals que ficam mais evidentes no refrão. Bela canção que merece sua atenção, assim como "It Seems So Hollywood", outro radio friendly AOR de arrepiar. Mais uma vez, melodia e andamento são excelentes, contando com teclados ocasionais e guitarras onipresentes, além do refrão empolgante, cercado por backing vocals. Volume máximo aqui também e prepare-se para "Next Train Back", um rocker com melodia crescente, com guitarras, baixo e teclados distintamente perceptíveis e bem integrados. O andamento é arrepiante, especialmente no refrão, que considero um dos melhores de todo o álbum. Mais uma vez, volume máximo...

Seguimos com "Love Is Like A Fire", rocker com melodia um pouco distinta do que ouvimos até aqui, mas é muito bacana. O andamento funciona bem, gosto bastante das guitarras (especialmente) e baixo tocando em uníssono ao longo dos versos (isso muda nas bridges) e do refrão memorável. Já "You Can't Hide"  é um rocker bem interessante, mas não agrega muita coisa ao conjunto de canções. Mas ainda assim, vale uma audição cuidadosa. Em "Fever" temos guitarras aos montes, com bateria e baixo na linha de frente, construindo uma melodia bacana - mas que parece que vai se perder em alguns momentos - e que conta com um bom refrão, e só. Me soa mais como um caso de AC Pop misturado com AOR, mas que não sabe exatamente qual dos dois é. E na reta final do álbum temos "I Dream Long Distance", um mid-pacer pesado, com baixo pulsante em primeiro plano, construindo a base por onde as guitarras passam acompanhadas por discretíssimos teclados. O refrão é envolvente, assim como a melodia, e o resultado final é arrasador. Mais um grande momento do álbum, assim como "Tell Me Why", balada que encerra nossa viagem com propriedade. Me agrada muito o andamento dessa canção, assim como e melodia simples e bem trabalhada. Teclados em profusão, guitarras em segundo plano e baixo mais consistente fazem dessa canção mais um destaque do álbum.

Em resumo, nibelungas e nibelungos, o primeiro álbum da Amaze Me é um belo exemplar do melhor AOR sueco da década de 90. Não bastassem as excelentes melodias, não posso encerrar essa resenha sem mencionar - novamente, eu sei - os absurdos talentos de Conny Lind e Peter Broman. É quase inacreditável pensar que apenas dois cidadãos fazem tudo o que está nesse álbum. Se você já conhece algum dos outros dois álbuns da Amaze Me (e já recomendei o monstruoso "Dream On" aqui) sabe do que estou falando. Se não conhece, não faz idéia do que e tá perdendo.

AMAZE ME - Amaze Me
Released in 1995 via Z Records
Cat. # ZR 1997008

Tracklist
01 God's Gift To Woman
02 You Say You Never Cry
03 Help Me Through The Night
04 Tough Ain't Enough
05 Fairwarning
06 Your Lover, Your Friend
07 It Seems So Hollywood
08 Next Train Back
09 Love Is Like A Fire
10 You Can't Hide
11 Fever
12 I Dream Long Distance
13 Tell Me Why

Lineup
Conny Lind: vocals
Peter Broman: all instruments, backing vocals

Um comentário:

DEEMON disse...

SÓ UMA PALAVRA, MARAVILHOSO!!!!

Postar um comentário

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

A Suécia é mais que bem sucedida em nos surpreender com boas novidades quando o assunto é AOR/Melodic Rock e o mais novo nome que merece ...